FONSECA

  •  
  • Subscrever Newsletterarrow


Vinhos do Porto

Vinho do Porto Fonseca



Guimaraens 2018

Fonseca Guimaraens Vintage

O 2018 combina a ricas e madura fruta da Quinta do Panascal no vale do Távora e a estrutura e profundidade das propriedades do vale do Pinhão.

 
  • 2019
  • 2018
  • 2015
  • 2013
  • 2012
  • 2008
  • 2005
  • 2004
  • 2001
  • 1998
  • 1996
  • 1995
  • 1991
  • 1988
  • 1987
  • 1986
  • 1984

Notas de Prova

Cor preto-púrpura quase impenetrável no centro, com uma estreita faixa violeta no bordo. O nariz é denso e compacto, com profundidade e estrutura impressionantes. A qualidade da fruta é excelente, uma deliciosa mistura de aromas de frutas vermelhas e pretas misturadas com notas de chocolate preto, características marcantes dos vintages da Fonseca. À volta deste núcleo de frutas poderosas e complexas, há uma aura de aromas balsâmicos e menta. Embora o nariz seja sumptuoso e sedutor, há um atraente e firme lado, fornecido pela grafite e uma mineralidade fina.

A primeira impressão no paladar é de sedosa suavidade, mas os taninos explodem repentinamente no palato com uma pungência assertiva e um fio de acidez que percorre o paladar para proporcionar uma frescura viva. Há uma abundância de frescos sabores de frutos silvestres que permanecem até ao longo final. Este excelente Vintage Guimaraens exibe vigor e profundidade, mas é suficientemente flexível e expressivo para ser bebido mais cedo.

O carácter dos vinhos de 2018 foi influenciado por um ano vitícola incomum e ocasionalmente desafiador. Após um ano muito quente e seco de 2017, em meados de Janeiro, 56% de Portugal, em particular o nordeste, foram declarados em seca severa. Felizmente, Março foi muito húmido e as fortes chuvas, totalizando 223 mm no Pinhão, encheram as reservas de água subterrânea que vieram a mostrar-se vitais durante o período de maturação. Até ao final de Junho, o clima permanecia frio e húmido, causando míldio em algumas vinhas, e as tempestades de granizo em 28 de Maio causaram danos extensos em algumas propriedades da região do Pinhão.

O ciclo da vinha estava cerca de três semanas atrás do ano anterior, com o pintor a chegar apenas no final de Julho. O tempo em Julho foi seco e relativamente ameno, mas em Agosto houve a chegada de um clima intensamente quente, com temperaturas bem acima de 40 ° C no Douro Superior, nos primeiros dias de Agosto. O calor permitiu recuperar o ciclo e, embora o clima quente continuasse, a grande quantidade de humidade no solo resultou num amadurecimento uniforme e equilibrado das uvas.

A vindima começou na Quinta do Panascal da Fonseca, no vale de Távora e nas suas propriedades no vale do Pinhão, Cruzeiro e Santo António, na semana de 22 de Setembro e foi realizada em condições quentes e secas. Os vinhos jovens apresentavam cor profunda e destacavam-se pela frescura da fruta e excelente acidez.